Brisa da Tarde | Curtindo a Vida em Família

Alguns métodos contraceptivos

Oi, gente!

Tudo bem com vocês? Aqui está tudo bem!

Na seção Vida a Dois de hoje, vou falar um pouco sobre as diferenças sobre os métodos contraceptivos que existem no mercado. É muito importante as pessoas utilizarem algum desses métodos seja para evitar uma gravidez indesejada, seja para evitar uma doença sexualmente transmissível. Vejam alguns deles:

Pílula oral

pilula

Com percentual de 99,8% de eficácia, elas são feitas com hormônios parecidos com os que são produzidos pelo próprio corpo: o estrogênio e a progesterona. Age impedindo a ovulação e dificultando a passagem dos espermatozoides para o interior do útero. Devem ser tomadas diariamente, de preferência no mesmo horário. O uso desse método contraceptivo deve ser indicado pelo médico ginecologista, pois somente após análise é possível indicar qual a pílula adequada ao seu organismo.


Anticoncepcional injetável mensal

injetavel

Com aplicação mensal, normalmente nas nádegas, o anticoncepcional injetável é semelhante à pílula. É prático, pois não exige que seja administrado di
ariamente e possui menos efeito colaterais no estômago do que o comprimido. Por ser uma solução oleosa, é liberada a mesma quantidade de hormônios da pílula diária e a menstruação ocorre normalmente.


Dispositivo intrauterino (DIU)

Holding an IUD birth control device in hand

Trata-se de uma estrutura de metal que tem ação espermicida intrauterina, ou seja, que impede que o espermatozoide chegue ao óvulo. Pode ficar até cinco anos dentro do corpo da mulher. É necessário que um médico insira o dispositivo no útero. Sua eficácia contra a gravidez é de 99,6% e os efeitos colaterais podem ser o aumento do sangramento menstrual, da duração da menstruação e da incidências de cólicas. Não é recomendado para mulheres com anemia severa justamente porque aumenta o fluxo menstrual, e, assim, poderia agravar a doença.


 Diafragma

diafragma

Com uma estrutura em látex, o diafragma é um método de barreira móvel, ou seja, que pode ser colocado e retirado da vagina. Para ser eficiente, deve ser colocado duas horas antes da relação sexual e retirado entre quatro e seis horas após o sexo. É combinado com gel espermicida. Após o uso, deve ser lavado com água e sabão. Sua durabilidade é de cerca de dois anos.


 Anéis medidores

anel

O anel vaginal é um método hormonal que traz uma formulação semelhante à da pílula anticoncepcional (etonogestrel e etinilestradiol), mas dispensa o uso do gel espermicida. Deve ser introduzido pela vagina e acomodado no colo do útero no quinto dia de menstruação, permanecendo ali por três semanas. Não traz desconforto e normalmente não é sentido durante as relações sexuais.


 Preservativos feminino e masculino

preservativos

São os métodos mais seguros, já que além de evitar a gravidez, também protegem contra as doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids. De fácil manipulação, a capa fina de borracha da camisinha masculina cobre o pênis durante a relação sexual e impede o contato do sêmen com a vagina, o ânus ou a boca. O esperma fica retido e os espermatozoides não entram no corpo da mulher. Deve ser descartada após o uso. Nunca use mais de uma camisinha e verifique se ela não está furada antes de usar.

Já a camisinha feminina pode ser colocada até oito horas antes da relação sexual  e também é um método de barreira que não deixa com que o espermatozoide entre no corpo feminino. Feita com um plástico mais fino e mais lubrificado que a camisinha masculina, o anel interno deve ser inserido na vagina, enquanto que o externo deve ficar para fora do corpo, cobrindo a parte externa da vagina. Não é recomendado o uso combinado de camisinha feminina e masculina simultaneamente.

A camisinha feminina pode ser retirada imediatamente após a saída do pênis, de preferência antes da mulher se levantar para evitar que o esperma escorra. É necessário segurar as bordas do anel externo, dar uma leve torcida na camisinha e puxá-la delicadamente para fora.


 Pílula anticoncepcional de emergência (pílula do dia seguinte)

piluladia

Este medicamento só deve ser usado em caso de emergência como, por exemplo, quando a camisinha estourou ou não houve uso de preservativo na relação sexual. Jamais deve ser adotado como método usual de proteção. O uso frequente da pílula de emergência pode causar alterações no ciclo menstrual. É preciso de receita médica para retirar esse medicamento.

As duas pílulas que compõem uma dose devem ser ingeridas com intervalo de 12 horas. Elas concentram alta dose hormonal (o equivalente a oito pílulas anticoncepcionais de uso prolongado) que vai retardar a ovulação e, assim, dificultar a gestação. A ocorrência de sangramento, ou a ausência do mesmo, está ligada ao período do ciclo menstrual da mulher.


 Minipílula e injeção trimestral

mini

Para mulheres em amamentação, o Ministério da Saúde oferece dois métodos contraceptivos que podem ser introduzidos seis semanas após o parto: a minipílula, administrada via oral, e a injeção trimestral. A combinação entre a prolactina (hormônio que estimula a produção do leite materno) com a progesterona (hormônio que prepara organismo para a fecundação) cria a barreira que impede uma nova gravidez durante a amamentação.

Para as mulheres que tiveram filhos, mas que por algum motivo não podem amamentar, a recomendação é que cerca de 40 dias após o parto seja introduzida a pílula anticoncepcional comum.


 Métodos definitivos

Segundo a Lei do Planejamento Familiar, pessoas com mais de 25 anos e pelo menos dois filhos vivos ou naqueles casos em que há risco de vida para a mulher ou para o futuro bebê, podem usar os métodos contraceptivos definitivos como a ligadura das trompas de falópio para as mulheres ou a vasectomia para os homens. Os dois procedimentos impedem que os espermatozoides atinjam o óvulo. É necessário aguardar 60 dias entre a manifestação da vontade de fazer a cirurgia e sua execução. Por serem métodos de difícil reversão, são chamados de definitivos.


CRÉDITO: Ministério da Saúde

Espero que tenham gostado do texto de hoje! É sempre bom nos informarmos um pouco mais sobre saúde!

Beijinhos

Comente

comments

Feliz aniversário para mim e para nós dois!
7 passos para melhorar a intimidade no casamento
Jantar romântico no Dia de São Valentim
7 comentários
  • Rita

    Super informativo. Parece que é coisa que todo mundo sabe, mas não é não! Mesmo com toda a informação ao nosso alcance hoje em dia, muitas mulheres não sabem das possibilidades de cuidar do corpo e de fazer suas escolhas.
    Beijitos!
    Rita postado recentemente…Caderno ViajanteMy Profile

    Responder
    • Fernanda

      É verdade, Rita! Quanto mais informação, melhor para nós!

      Beijinhos

      Responder
  • Lulu

    Fe, fiquei super feliz com a sua visita no blog, não conhecia seu novo blog. Sempre é bom esclarecer os métodos contraceptivos. Todo mundo sabe, mas na hora de usar, ninguém usa depois não adianta reclamar ne?
    big beijos
    Lulu postado recentemente…Fora do Normal com Fábio Porchat: eu viMy Profile

    Responder
  • Fernanda

    Oi, Lulu!

    Com certeza! É sempre bom esclarecer dúvidas sobre saúde!

    Beijinhos
    Fernanda postado recentemente…Quando fui obrigada a crescer…My Profile

    Responder
  • Mara

    Ótimo artigo Fernanda, hoje em dia as mulheres tem acesso a uma infinidade de informações principalmente na internet, entre elas está os métodos contraceptivos. Acho que hoje em dia nós mulheres estamos nos preocupando bastante com esse tipo de informação fato que a natalidade caiu bastante nos últimos anos no Brasil.

    Beijos

    Responder
  • Marta

    Ótimo site, mas tenho uma dúvida. Gostaria de saber se a gente mudar o tipo de método contraceptivo ao menos umas duas vezes no ano poderia atrapalhar na eficácia bem como o nosso organismo. Obrigada.

    Responder
Acompanhe as nossas notícias

Assine

Close