Brisa da Tarde | Curtindo a Vida a Dois

Outono: dicas para conservar o blazer e o paletó

Oi, gente!

Tudo bem com vocês? Aqui está tudo bem!

O outono já começou e, com ele, o friozinho da manhã e da noite estão chegando com toda a força, principalmente no Sul e no Sudeste do Brasil. Peças coringas desse friozinho são o blazer e o paletó. Ambos requerem cuidados especiais no que diz respeito à limpeza, passadoria e conservação. Já falamos sobre conversação de cada tecido, observando a etiqueta de cada um deles aqui no blog, mas é sempre importante termos informações especializadas sobre isso. Sobre o tema, quem ensina o que fazer para deixar os seus blazers e paletós sempre como novos é Alaor Chiodin da Lavanderia Wash, especializada em roupas finas. Vamos às dicas do especialista?

Limpeza

Nem o blazer e nem paletó devem ser lavados em máquina de lavar (confesso que estraguei um blazer meu fazendo isso outro dia). Ambos devem ser limpos a seco. São peças normalmente confeccionadas em tecidos mais nobres e o que faz toda a diferença é o caimento. Também tem a questão da entretela que dá forma à lapela das peças. Normalmente, ela é colada ao tecido e a água pode promover o descolamento. Bolsos, mangas e colarinho requerem limpeza manual – geralmente acumulam bastante sujidade.

Crédito: Peixe Urbano

Paletós e blazers jamais devem ser guardados sujos. Se estão com respingos de alimentos ou bebidas, é importante não tentar removê-los de maneira caseira, pois há risco de promover manchas ainda mais sérias e, muitas vezes, irremovíveis.

Uma escova macia e seca pode ser utilizada para remover a poeira superficial que, muitas vezes, se acumula sobre o tecido.

Após a limpeza a seco, o ideal é que o blazer e o paletó sequem em estufa, devidamente pendurados em cabides anatômicos. Na secadora, além do risco de desestruturar as peças, também existe a possibilidade de encolhimento.

Passadoria

A beleza de um blazer e de um paletó fica comprometida se apresentar brilho da passadoria. Isso ocorre quando há a queimadura da costura pelo uso do ferro de passar em temperatura muito quente. O tecido, quando levemente queimado, produz um brilho característico, demonstrado quando a pessoa se move. É um dano irreversível ao tecido. Por isso, é preciso passar a peça na temperatura adequada e com protetores especiais, que evitam sua queimadura.

O mesmo cuidado vale para a entretela. Se ela receber um calor muito intenso, se descola e forma bolhas que só poderão ser removidas se forem trocada. Todo cuidado é pouco.

Conservação

Reveze o uso dos ternos, procurando não usá-los em dias seguidos. No dia em que não os utilizar, deixe-os pendurados fora do armário para que ventilem. O mesmo vale para os blazers.

Guarde os paletós e os blazers em uma capa de TNT. Isso evita que a poeira se acumule sobre eles. O saco plástico que os reveste ajuda, apenas, no transporte da lavanderia para casa, mas deve ser logo removido. O plástico impede que o tecido “respire”.

Crédito: El Hombre

Paletós e blazers devem ser pendurados em  cabides largos, anatômicos, para que não deformem. Se forem colocados em cabides finos, como das calças, por exemplo, poderá se formar um “bico” nos ombros. Dependendo do tempo que permanecer no cabide, esta marca só sai se a peça for lavada e passada novamente.

Existem closets iluminados e sem porta. Muitas pessoas, após se vestirem, se esquecem de apagar as luzes. A luz, caso incida por muito tempo sobre as peças, pode descolorar especialmente os paletós de inverno ou de couro. Ela "queima" o tecido e não há como recuperar a cor em uma simples lavagem.

Bom, pessoal, todo cuidado é pouco para que as nossas roupas fiquem com carinhas de novas por bastante tempo. Por isso, é importante seguirmos as dicas dos especialistas para conservarmos as peças adequadamente.

Um grande beijo e até a próxima!

Comente

comments

4 números de telefones que você deve ter sempre à mão
Meu bullet journal
Como decorar e montar um escritório em casa: tipos de móveis
2 comentários
Acompanhe as nossas notícias

Assine

Close