Brisa da Tarde | Curtindo a Vida em Família

Vinte de abril…

A maternidade é algo que transforma a vida da gente! É um negócio muito doido que começa no momento em que a menstruação atrasa e fazemos o teste de gravidez.

Milhares de sentimentos vão acontecendo em nossas vidas: medo, ansiedade, felicidade, preocupação, etc. Sempre tive medo de ser mãe! Do parto então, nem se fale! Só sei que esses medos diminuíram ao ver o rostinho da minha filha! Este é o meu relato de parto! Fiquem à vontade para acompanhá-lo!

Depois que comecei a trabalhar, sempre me considerei uma mulher independente e dona do meu nariz, inclusive no que tange à maternidade. Eu sempre dizia que a maternidade não era para mim!

Quando comecei a namorar com o Elton, deixei bem claro para ele que eu não queria ser mãe. Ele ficou apreensivo, mas respeitou a minha vontade. Assim, nos casamos e curtimos a vida a nossa vida de casados.

Em março de 2017, alguma coisa despertou dentro de mim! Era a vontade de ser mãe! Conversei com o Elton e decidimos que eu pararia com a pílula. Depois de quatro meses, engravidei!


A decisão do parto

No começo da minha gestação, muitas pessoas me perguntaram que tipo de parto eu gostaria de ter. Pesquisei muito sobre o parto normal e o parto cesariana e decidi que o melhor para mim seria o parto cesariana, mesmo com muitas pessoas me dizendo que o pós-parto era muito difícil.

Conversei com a minha médica e decidimos que seria um parto cesariana mesmo!


Estava tudo bem…

Na semana do dia 20 de abril, comecei a ter muitas dores na lombar, na virilha e na barriga. Não conseguia me mexer direito porque a dor era constante. No dia 17 de abril, não aguentei e conversei com a minha médica. Ela me orientou a procurar um pronto-socorro para saber se estava tudo bem com a Micaela.

Fiz a cardiotocografia e a ultrassonografia e estava tudo bem! De acordo com o médico que me atendeu, essas dores tinham a ver com o meu corpo se preparando para o parto, ou seja, tudo absolutamente normal. Só me orientou a tomar um Buscopan a cada 6 horas. E, assim, fomos para casa.


Vinte de abril

No dia 20 de abril, levantei cedo e fui tomar um café na padaria. O Elton tinha saído para arrumar o carro. Fiquei um tempo na padaria pensando na vida. Sim, ela ia mudar muito a partir daquele dia.

Às 14 h, o Elton e eu fomos para a maternidade. Fiz os exames preparatórios e tudo estava bem com a bebê. Fui preparada pela equipe de enfermagem e fiquei esperando a chegada a minha médica, Dra. Fernanda Paoli.

Quando ela chegou, fui para a sala de cirurgia. A médica anestesista ficou conversando comigo e me pediu para me sentar e inclinar o meu corpo para a frente. A Dra. Fernanda ficou me segurando e me fazendo carinhos na cabeça enquanto a médica anestesista aplicava a anestesia.

Milhões de coisas passaram pela minha cabeça. Eu me senti como se estivesse em uma montanha-russa quando estamos prestes a descer a primeira montanha. Foi muito doido!

Depois disso, o Elton entrou na sala de cirurgia e eu fiquei um pouco mais calma. Ficamos ali… Um olhando para o outro na expectativa de vermos a nossa pequena.


Sim, ela nasceu!

De repente, a Dra. Fernanda me disse que a Micaela já estava nascendo e baixaram um pouco o pano da cirurgia para que nós pudéssemos ver a nossa menininha.

E ela nasceu! Tão linda, tão indefesa e tão pequena! E como chorava!

Nossa pequena chegando ao mundo!

Depois de limpa, ela foi direto para os braços do papai. Senti o seu cheiro e a sua respiração perto de mim. Pensei: "Meu Deus, como a natureza é linda!". Era a minha filha que tinha chegado ao mundo! Ela, que eu já conhecia, mas, ao mesmo tempo, que nem sabia como era o seu rostinho!

Oi, gente!

Momento mágico

Nossa família está completa!

Ficamos ali admirando o seu rostinho e tirando fotos! Que sensação maravilhosa! Depois, a equipe de enfermagem a levou para os primeiros exames. Quando a cirurgia terminou, fui para a sala de recuperação.

Não demorou muito e colocaram a Micaela em meus braços para mamar. Gente, eu não sabia nem como a pegaria porque nunca peguei nenhum recém-nascido em meus braços antes. Toda desajeitada e com a ajuda da enfermeira, ela começou a mamar. Que momento mágico! Ela fez a pega correta de primeira! Que coisa mais linda!

Fiquei com ela ali por algum tempo admirando o seu rostinho e agradecendo a Deus por ter sido tão bom comigo!

Depois de mamar, as enfermeiras a levaram para o berçário e eu continuei ali até a minha recuperação. Ela foi para o quarto comigo. Estavam nos esperando o papai, meus sogros, minha cunhada, minha tia e meu primo. Foi uma alegria só!

Conhecendo uma parte da família

Meus sogros, Elton, Micaela, Daniela e eu lá no fundo

Elton, Micaela, tia Cidinha e Rafael

Agora, com a Micaela, eu começo a compreender o que é o tal "amor de mãe". É um sentimento maravilhoso, dolorido e muito especial! Eu faria qualquer coisa por ela! Ela é uma parte de mim, do Elton e de toda a nossa família. Ela é o melhor de todos nós!

Bom, pessoal, nos próximos posts, vou falar um pouco mais sobre a nossa vida com a Micaela. Espero que vocês nos acompanhem e participem deste momento maravilhoso que estamos vivendo!

Beijinhos e até a próxima!

Comente

comments

Depressão pós-parto
Amamentação: dicas da vida real
Aproveite o Dia das Crianças
6 comentários
Acompanhe as nossas notícias

Assine

Close